0 items - R$0.00

Telefones: (17) 3014.3578 - (17) 99215.1742 claro

       0 items - R$0.00

Iridologia Orgânica

Desde a gênese da humanidade observa-se que os olhos são objeto de admiração pelo homem. Caldeus e Babilônios já naquela época faziam gravuras em pedras sobre a íris associando sua correspondência com o corpo.

Phillippus Meyens, de Dresden, Alemanha, foi o primeiro a publicar a obra Chiromatic Médica, insinuava sinais na íris mostrando os principais sinais e suas relações com determinadas doenças e ministrava assim uma compreensão sucinta par ao primeiro mapa da íris já publicada. Em seguida surge à vez de Johann Sigmundn Eltzholtz (Nurnberg, 1965) foi mais a fundo e complentativo nos estudos de Meyens. Mais ou menos um século adiante, aproximadamente 91 anos, em Gorttngen, Christian Haertls, com base nos estudos de Meyens, elaborou um trabalho com o título “O olho e seus sinais”, estilou muita polêmica. Foi por volta de 1850, aos redores de Budapeste, na Hungria, que um jovem rapaz amante da natureza e cujo nome era Ignaz Von Peczely, passeando pelas lindas florestas de seu país, encontrou uma coruja que se encontrava em uma cerca e, na tentativa de ajudá-la e esta, espantada, agarrou-se na mão do rapaz. Ele, assustado e querendo se livrar das garras fraturou uma das patas. Neste instante o jovem observou um fino traço escuro na região da íris correspondente ao lado quebrado. Com a curiosidade de um cientista, Pczely tratou e acompanhou a consolidação do ferimento, observando que o traço da íris desaparecia gradativamente até restar uma tênue marca.

Passaram-se anos e, o jovem foi estudar medicina e ao findar os estudos pela  Universidade de Viena, em 1867, o então doutor Ignaz recordou-se do que se passara com a coruja na sua infância e desenvolveu então pesquisas comparativas em hospitais. Ao longo de pesquisas com pacientes hospitalizados, elaborou o primeiro Mapa Iridológico, que mais tarde passou por aperfeiçoamento e hoje é o mais conhecido e utilizado.

Ocasionalmente, na Suécia, o pastor homeopata de nome Nils Liljequist publicou uma obra com o título “O Diagnóstico dos Olhos” , que continha um mapa com desenhos em preto e branco. O êxito foi tão grande que em 1909, grupos opositores se exaltaram ao máximo a ponto de quererem processá-lo e o coagiram a diagnosticar através do exame iridológico 20 pacientes enfermos hospitalizados, aos quais somente os olhos poderiam ser observados. Quatro dos famosos médicos da época supervisionavam os trabalhos de Nils e os resultados de seus trabalhos foram comparados pelo o dos médicos e o laudo apresentava o seguinte: 15 casos mostraram autentica coincidência dos diagnósticos, 3 casos houve coincidência parcial e dois outro casos os diagnósticos tiveram controvérsias. Na opinião de Felk, outro desses dois pacientes carecia de cirurgia de emergência para sua total salvação, infelizmente foi atestado pelos médicos que o paciente não tinha nada e deram-lhe alta. Dias depois esse paciente foi a óbito e a autópsia comprovou o que havia dito o pastor Felk ao diagnosticar. A partir deste acontecimento, a Alemanha respeita a iridologia e a pesquisa científica.

Mapa Iris Esquerda                                                 Mapa Iris Direita

iris_esquerda   iris_direita

Topografia da Iris

iris

IRIDOLOGIA COMPORTAMENTAL
MÉTODO RAYID

Este método foi desvendado à comunidade holística por volta do início de 1978. O método RAYID nasceu das pesquisas do norte-americano Denny Johnson. Hoje se encontra divulgado por todo o mundo, pois é uma excelente técnica de diagnóstico da saúde e usado principalmente por profissionais dessa área, assim como; terapeutas holísticos, acupunturístas, médicos,  psicólogos e psicanalistas.
O intuito de Denny Johnson foi o idealizador do  Método Rayid de interpretação através da Íris do olho, com a intenção de se diagnosticar  o perfil do comportamento e os traços da personalidade de cada indivíduo, assim também, mostrar as funções e quais dos  hemisférios cerebral direito ou esquerdo é mais atuante.
Assim sendo, Denny Johnson concluiu que através do estudo e observação da íris, poderia analisar tanto o sistema somático como também seu padrão inconsciente. Ali estariam impressos em clichês mentais nossos instintos primários dominados pelo princípio do prazer, o que Freud denominou de ID.
O estudo analítico de alguns sinais na íris permite fazer uma associação perfeita entre os padrões comportamentais do indivíduo e os sinais nela impressos.

Este método classifica a personalidade (biótipos) do indivíduo em três estruturas básicas:JÓIA (rocha), CORRENTE (rio), FLOR (suavidade) e uma quarta que é o resumo das anteriores: AGITADOR. Cada uma delas possui características psíquicas particulares, além de fornecer informações sobre padrões orgânicos  individuais, a íris também revela o universo psíquico dos indivíduos.

olho1

Gema: Pensamento analítico; comunicação verbal; aprendizado visual; postura e gestos controlados e pontiagudos; dom de liderança; observa e analisa os detalhes; perspectiva de vida na primeira pessoa (eu); direcionamento para frente; conhecimento linear.

flor

Flor: Sentimental; emocional; comunicação visual; aprendizado auditivo; Postura e gestos animados e espontâneos; dom da visão social; perspectiva de vida na segunda pessoa (você); direcionamento circular; sentimento de paz.

olho3

Corrente: intuitivo e amável; comunicação através de posturas; Aprendizado através da ação. Posturas e gestos súbitos; dom de apoiar e dar suporte; perspectiva de vida na primeira pessoa do plural (nós); direcionamento para baixo; conexão e quietude. Altamente sensitivo; atua em profissões de cura por que funcionam como esponja. Sente atração pelo tipo agitador.

olho4

Agitador: Movimento, comunicação gestual; aprendizado através das sensações do corpo; postura e gestos dinâmicos; dom de liderança e originalidade; perspectiva de vida na terceira pessoal do plural (eles); direcionamento para fora e para cima; vitalidade e celebração. Pioneiro em tudo que se propõe a fazer. São perseverantes e aprendem pela intuição e pelo toque. São comumente atraídos pelo tipo corrente.

Exemplos de tratamentos iridológicos:

O tratamento nunca segue uma receita, pois tendo se em vista que cada um de nós é UM indivíduo, daí a razão de um tratamento individual, de forma personalizada em acordo com seu estado psíquico-emocional e físico. Para toda doença existe uma causa e nada se manifesta no físico antes de ser arquitetado em seu mental. Diante disso, combate-se a causa para sanar o efeito. Em medicina holística não se trata o paciente robóticamente como se fosse uma peça; quando você está com uma dor onde quer que seja, o corpo todo sofre.

A íris em análise apresenta uma abertura em suas fibras a qual chamamos tecnicamente de Lesão aberta.

1°) Exemplo

olho5

LESÃO ABERTA
Surgem quando há uma abertura entre as fibras resultando em um espaço. Mostra que a ação metabólica está ativa, mas que há frágil vitalidade. O estado de Hipoatividade é relativo aos graus de coloração escura. Quanto mais profunda for à abertura, maior a cronicidade da doença. Também a recuperação é relativamente fácil.
Procedimento Terapêutico:

A) alfafa    – 170mg
B) Ecnácea – 250mg
C) Guaraná – 470mg
D) Ginseng Coreano (Panax ginseng) – 500mg

Energético vitamínico:
Ácido pangâmico – 150mg
Arginina  – 100mg
Co Q10   – 10mg
Ornitina   – 100mg
Vit. B1    – 10mg
Vit. B12  –  100mg
Vit. B6    –  80mg

2°) Exemplo

olho6

LESÃO FECHADA

À observação, nota essa lesão em formato esférico oval. É uma característica de um tecido deficiente e com uma vagarosa eliminação de toxinas. A recuperação é mais penosa do que nas lesões abertas. As pequenas formas redondas podem caracterizar sinais de tumores.

Procedimento Terapêutico:

Dieta básica:
Eliminação de toxinas relacionadas à alimentação mais ácidas, como as drogas, açucares, frituras, carnes, laticínios;

1)    Utilizar frutas, vegetais, grãos integrais, nozes, sementes e legumes;
2)    Alimentos crus;
3)    Suco de frutas e vegetais;
4)    Sucos específicos como de maçã, cenoura e folhas verdes;
5)    Água;
6)    Tomar chá de dente-de-leão e bardana.

Categories: Iridologia

Comments are closed.

Copyright ©2017 - EMIVANIS - Todos os direitos reservados

INSTITUTO DA VIDA - Rua Maximiano Mendes, 354 - Santa Cruz - São José do Rio Preto - São Paulo